Árbitros de Estrutura



Composição do quadro de árbitros: 

 

- Será considerado  apto a julgar cães de nossas exposições:

-  Todo aquele que apresentar documento de comprovação de formação para árbitros, que tenha julgado ao menos uma exposição nos últimos 2 anos, e passe pela prova de adequação. ( cadacaso será estudado individualmente)

- Todo aquele que fizer a prova para admissão do quadro de árbitros e for considerado apto a julgar, que não apresentem nada que o desabone. 


Provas para novos Árbitros


PRÉ REQUISITOS: Para fazer a prova para árbitros é necessário ser associada da UCB, ser maior de 25 anos, ter o segundo grau completo, comprovar vivência cinófila tendo registrado ao menos uma ninhada e ter participado de exposições como handler ou expositor nos últimos 5 anos.

No caso de criadores sócios cujo nome não apareça nos pedigrees, é necessário uma carta assinada pelo criador titular  relatando esta vivência,. de preferencia com fotos anexadas. A assinatura do titular deverá ter firma reconhecida em cartório e então anexada ao requerimento.  (cada caso será estudado individualmente).

Inicialmente poderá fazer prova da raça que cria e se aprovado, na mesma ocasião poderá fazer do grupo desta mesma raça. Os exames de extensão deverão ter um espaço mínimo de 18 meses, e o pretendente deve ter participado de exposição como auxiliar de árbitros ou ter um orientador de grupo, e poderá fazer no máximo 2 grupos por vez.

Veterinários serão dispensados da prova escrita de anatomia, mas não das de padrão, dinâmica e estrutura.

As provas serão marcadas com antecedência mínima de 60 dias, sendo uma parte escrita e outra prática.

O candidato será avaliado por uma banca examinadora não necessariamente pré-divulgada.

A UCB poderá rejeitar inscrição de pessoas que não se ajustarem ao perfil esperado de um árbitro desta entidade.

A qualquer momento a UCB poderá destituir a pessoa do quadro de árbitros caso a mesma apresente um comportamento  inadequado que vá contra as normas, regras, ou que apresente má conduta nos julgamentos.

O árbitro que não estiver ativo junto a UCB nos 3 anos seguidos de sua nomeação, julgando. expondo ou participando dos eventos, poderá ser distituido.

 

 Direitos e deveres dos Árbitros

O árbitro por ocasião de uma exposição será o responsável por tudo que acontecer dentro de sua pista, portanto antes de iniciar um julgamento deve  verificar:

- Condições da pista, do piso, limpeza e espaço de pré pista.

- Verificar junto ao auxiliar se todos os cães da raça se encontram na pré pista antes de iniciar o julgamento e providenciar a chamada junto ao superintendente caso julgue pertinente.

- Só poderão entrar na pista de julgamento os exemplares que estiverem devidamente identificados com o número de inscrição e aguardando a chamada na pré-pista.

- o árbitro terá direito a hotel pago pelo clube promotor do evento para cidades que fiquem a mais de 100 km de sua residência, assim como gastos de  locomoção e alimentação durante o tempo que ele estiver disponível para realização do evento.

O julgamento deve seguir rigorosamente as regras, normas e padrões da UCB, e uma vez anunciados os vencedores o resultado não poderá ser alterado (salvo casos especiais a serem avaliados pelo árbitro juntamente com o superintendente da exposição).

A decisão do árbitro deve ser respeitada e acatada por todos durante o evento, não cabendo ao expositor questionar o resultado.

O árbitro deverá agir de forma séria e responsável tratando os expositores com respeito, dando atenção a todos da mesma forma.

O árbitro não deve permitir que em sua pista permaneçam pessoas além do expositor, auxiliar de pista e auxiliar de árbitro caso seja necessário.

Os juízes devem estudar os padrões a cada vez que forem julgar uma exposição, o clube promotor deverá comunicar  as raças que estão se inscrevendo  com prazo preferencialmente 48 horas antes do evento.

Os juízes devem ser sempre prudentes, cordiais, educados, éticos e coerentes durante o julgamento.

Devem respeitas as regras de ética, respeitar seus colegas, a organização a qual pertencem e os expositores, uma vez que respeito é nossa base de trabalho.

Cabe ao árbitro comunicar imediatamente ao superintendente da exposição, qualquer atitude de pessoas que coloquem em risco o bom andamento do julgamento.

As planilhas com os resultados das raças, grupos e finais de exposição deverão ser entregues à secretaria do evento devidamente assinadas e sem rasuras.


Normativas exigidas pela Alianz Canine Worldwide ACW para manutenção do título de juiz, e aprovação para ser Juiz Internacional UCB/ACW.

Ser sócio adimplente com a associação a qual pertença.

Registrar filhotes nesta associação.

Os juízes que por qualquer motivo não justificado não tiverem julgado nos  5 anos subseqüentes a sua nomeação deverão fazer prova de adequação e atualização para voltar a julgar, ou no caso de clubes mais antigos, os que não  julgaram nos últimos 5 anos dever passar por este procedimento.

Juízes que mudarem  de país devem comunicar-se com ACW local para seu reconhecimento e repatriamento de títulos.

É recomendado que um juiz contrate um seguro para cancelamento de vôos, acidentes quando é convidado a julgar fora de seu estado, ou país.


Um juiz nunca deve chegar tarde a uma exposição, e deve terminar completamente as obrigações que lhe foram designadas para o evento.

Um juiz deve respeitar o trabalho da organização do evento, suas opiniões e conselhos devem ser dados de forma cordial e respeitosa diretamente aos organizadores ou superintendente do evento.

Um juiz não pode criticar o julgamento de outro juiz.

Um juiz em nenhuma circunstancia deve solicitar convites para julgar.

Não é ético um juiz solicitar informações de qualquer cão inscrito, antes ou durante o julgamento.

Na pista um juiz deve se comportar corretamente e examinar a todos os exemplares sem discriminação. Deve vestir-se de maneira sóbria, elegante e correta de acordo com a tarefa a ser realizada. Deve atuar de forma correta e sempre cortes.

Um juiz não pode fumar na pista.

Um juiz não pode consumir bebidas alcoólicas durante o evento.

Um juiz não pode utilizar um telefone celular em pista, salvo para tirar fotos, ou eventualmente consultar algum padrão ou normativas que o momento exija que o faça.

Um juiz não pode nem inscrever nem apresentar cães no evento que esteja julgando.

Um sócio, membro de sua família direta como pais, filhos e cônjuges, ou qualquer pessoa que viva sobre o mesmo teto, pode apresentar e inscrever cães no evento, mas para as outras pistas e juízes, jamais pode entrar na pista do juiz em questão.

Os cães apresentados pelos juízes devem ser de sua propriedade, co propriedade, de sua criação, de parentes diretos, ou pessoas que morem sob o mesmo teto. Um árbitro não deve apresentar cães de terceiros, salvo por alguma necessidade inerente ao evento e que seja relatada  pelo superintendente ao  diretor de árbitros.

Não pode julgar nenhum cão que tenha sido de sua propriedade, vendido por ele, ou cuidado por ele durante os últimos seis meses que antecederam a exposição em que estará julgando.

Os juízes estão proibidos de viajar com expositores para exposições onde julgará, salvo que a pessoa em questão não apresente seus cães para o juiz a quem acompanhou.

Um juiz só pode socializar com expositores após o término do julgamento, salvo em eventos promovidos pela organização do evento, como jantares e cursos onde existam vários expositores.

Compromisso com UCB/ACW

Um juiz homologado pelo sistema UCB/ACW só poderá julgar exposições organizadas por entidades membros ou reconhecidas ACW, salvo que tenha autorização prévia da associação a qual pertença.

Ao receber um convite para julgar fora do seu estado ou país, deve entrar em contato com a coordenadoria de árbitros para que possa ser homologado o pedido e comunicado a ACW.

Um juiz não pode de forma alguma aceitar julgar cães de uma raça a qual não está certificado como apto através dos exames para árbitros. O mesmo se aplica para grupos e BIS.

Todo juiz deve sempre pedir permissão para qualquer  tipo de julgamento a qual foi convidado.

Todo juiz convidado para julgar fora deve responder um questionário padrão enviado pela associação promotora e enviado de volta assinado em tempo hábil.

È proibido a um juiz cobrar reembolso não devidamente comprovado, tão pouco valores em desacordo com o que foi gasto. Se comprovado o fato pode gerar penalização a quem o fez, e o fato será encaminhado à comissão de juízes UCB/ACW.


Motivos de Expulsão do sistema UCB/ACW

1. Um juiz que não cumpra os regulamentos e normativas das associações ligadas a ACW, causando problemas para os eventos ou para as associações a que ele pertença, poderá através de requerimento da associação, ser submetido a julgamento da comissão de árbitros de seu país e posteriormente a comissão Internacional de juízes. Vale lembrar que cada juiz deve obedecer as regras  e responder em primeira instância a associação a qual ele está filiado e aprovado como apto a julgar.

2. Todo juiz envolvido em casos analisados pelo comitê terá direito a defesa por escrito, ou verbalmente caso seja penalizado por algum tipo de atitude considerada desabonadora.

3. A UCB/ACB poderá resolver os problemas surgidos das seguintes formas:

a) Resolver sem penalizações.

b) Resolver e gerar uma advertência com ou sem suspensão do juiz.

c) Resolver e suspender o juiz por temo indeterminado.

d) Eliminação do juiz do quadro de árbitros do sistema.


Assim ficam estabelecidas as normativas para os árbitros/juízes Nacionais e Internacionais do sistema UCB/ACW